Contatos:

economiasolidariaempernambuco@yahoo.com.br

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Reunião Mensal de FEPS-RMR de Pernambuco.

Secretaria Nacional de Economia Solidária completa oito anos

Fonte: E_solidaria (FBES)  e Instituto Marista de Solidáriedade.



A Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério Trabalho e Emprego (Senaes/MTE) completou ontem, dia 27, oito anos de existência. Para comemorar a ocasião, foi aberta, no hall de acesso do bloco F, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, a exposição “Economia Solidária – 08 anos de Senaes”. Nela estão apresentas as diversas ações realizadas pelo órgão, além de exibidos artigos produzidos por empreendimentos econômicos solidários. Paralelamente à mostra, grupos promovem a venda de seus produtos em uma feira de economia solidária que também acontece no mesmo prédio do MTE, até a próxima sexta-feira.
No descerramento da faixa de inauguração, o secretário nacional de Economia Solidária, Paul Singer, fez um balanço bastante positivo do trabalho realizado pela Secretaria, uma vez que ela ajudou muito, nesses oito anos, no crescimento da Economia Solidária do Brasil. “Hoje nós nos tornamos complexos: temos conosco indígenas, quilombolas, quebradeiras de cocos e uma infinidade de pessoas com quem caminhamos juntos”, disse. Singer também parabenizou o Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES), entidade que nasceu junto com a Senaes, no mesmo instante. “Várias das nossas atividades são realizadas com o FBES, é nosso grande parceiro nos 110 convênios que realizamos na proposição de políticas públicas para o Brasil”, ressaltou.
A abertura da exposição contou com as presenças do ministro do Trabalho e Emprego em exercício Paulo Roberto Pinto, o ministro da Previdência Garibaldi Alves Filho e o representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário Vital, diretor de Cooperativismo, Negócios e Comércio (Decoop/SDT), Vital Filho.


Lea Cunha

Analista Social - Comunicação Social

terça-feira, 28 de junho de 2011

Feira de Saberes e Sabores no Pátio do Mercado de São José em Recife.




 
 
A cidade do Recife recebe no próximo dia 12 de julho uma Feira de Saberes e Sabores que trará uma grande diversidade de produtos da agricultura familiar do estado de Pernambuco. E quem participar vai poder levar para casa alimentos agroecológicos, artesanatos e comidas regionais. Tudo regado a apresentações culturais e animados por uma rádio na feira.

A feira é parte da programação do Encontro Estadual de Agricultores e Agricultoras Experimentadoras, que aborda o tema Agroecologia produzindo alimentos saudáveis e melhorando a vida no planeta e é uma iniciativa do Centro Sabiá.

Feira de Saberes e Sabores
Terça-feira, dia 12 de julho de 2011
Pátio do Mercado de São José
Pernambuco - Brasil

Outras informações:
Centro Sabiá - www.centrosabia.org.br
(81) 3223.7026

Projeto Segurança Alimentar, Nutricional e Produtiva Será Lançado Nesta Terça-feira em Pernambuco


Fonte: Assessoria de Comunicação Cáritas NE2:
Kilma Ferreira (81) 9913-5255 


O objetivo do Prejeto é garantir a autonomia e segurança alimentar e produtiva de 3 mil famílias acampadas e pré-assentadas no Estado de Pernambuco.


Uma série de ações voltadas a promover a autonomia e segurança alimentar e produtiva de famílias acampadas e pré-assentadas começam a ser implantadas no Estado de Pernambuco. Trata-se do Projeto Segurança Alimentar, Nutricional e Produtiva – PSAN/PE, que será lançado oficialmente nesta terça-feira (28), no auditório do Monumental Hotel Monteirão, em Arcoverde (PE), a partir das 9h.

Executado pela Cáritas Brasileira Regional NE 2, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSDH), o Projeto irá desenvolver suas ações de forma articulada com quatro movimentos sociais de luta e defesa pela Reforma Agrária: Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) e Federaçaõ dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape).

A expectativa é beneficiar 3 mil famílias agricultoras de 31 municípios pernambucanos. O PSAN/PE visa estimular o desenvolvimento de sistemas coletivos de produção, através da organização, formação e capacitação das famílias acampadas e pré-assentadas.

De acordo com o coordenador do PSAN/PE, Victor Hugo Balladares, a execução das ações do Projeto concretiza uma proposta de promoção da segurança alimentar e nutricional desenvolvida em áreas de extrema pobreza e carência de políticas públicas. “O lançamento será uma oportunidade de apresentar para as famílias e para sociedade o que pretendemos desenvolver nos próximos dois anos. Sabemos que a demora no processo de Reforma Agrária acaba desgastando a organização dessas famílias e gerando situações de insegurança alimentar nos acampamentos. Nosso trabalho tem por objetivo contribuir para reverter essa situação, disse. 

Lançamento: a cerimônia de lançamento reunirá agricultores da Região Metropolitana do Recife, Zona da Mata, Agreste e Sertão de Pernambuco, representantes dos governos estadual e federal, integrantes da igreja católica e instituições da sociedade civil, além dos principais movimentos de luta pela Reforma Agrária no Estado.

O lançamento será seguido por um ciclo de palestras que irá discutir e aprofundar as ações de promoção da segurança alimentar e nutricional em Pernambuco. Participam do debate o representante da Cáritas Nacional, Luiz Claúdio Mandela; o secretário da Cáritas NE2, Pe. Jandeílson Alencar; o diretor do Departamento de Sistemas Descentralizados de SAN, ligado ao MDS, Antônio Leopoldo Nogueira; a secretária de Desenvolvimento social e Direitos Humanos, Laura Gomes; a superintendente das ações de segurança alimentar e nutricional do Estado, Mariana Suassuana; prefeito de Arcoverde, Jose Cavalcante Alves; o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Brandão Ramos; o secretário executivo de Agricultura Familiar, Aldo Santos; o presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea/PE), Natan Maranhão; o professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Marcos Figueiredo, e lideranças estaduais dos movimentos sociais (MST, CPT, MLST e Fetape).


O Projeto

O PSAN visa estimular o desenvolvimento de sistemas coletivos de produção nos acampamentos e pré-assentamentos de municípios pernambucanos através da formação e capacitação dos trabalhadores sem terra para o manejo e acondicionamento adequado dos alimentos e o maior aproveitamento nutricional, evitando o desperdício de materiais considerados como sobras, a exemplo de cascas e sementes.

As ações desenvolvidas no projeto são direcionadas para a organização dos núcleos familiares na estruturação de atividades agroalimentares, cultivo de plantas medicinais, formação de canteiros e mudas de espécies nativas para recomposição da vegetação do entorno das áreas ocupadas e o criatório de pequenos animais, tudo apropriado às condições de convivência com cada região e visando a garantia do direito à alimentação adequada e a autonomia produtiva dessas famílias.

Algumas metas quantitativas do PSAN/PE:
·         Implantar 300 Projetos Produtivos Coletivos, nos núcleos familiares dos acampamentos e pré-assentamentos.
·         Implantar 60 Núcleos Produtivos ou Unidades agroecológicas para abastecimento alimentar (criação de pequenos animais, canteiros de sementes crioulas e plantas medicinais, e produção de alimentos); 
·         Distribuição de 60 kits de utensílios e equipamentos para montagem de cozinhas coletivas;
·         Distribuição de 3 mil filtros domésticos de água a cada família beneficiada.

SOBRE A CÁRITAS

A Cáritas Brasileira é um organismo da CNBB, com mais de 50 anos de atuação social, que integra a rede Caritas Internationalis, presente em mais de 200 países. A entidade atua numa perspectiva ecumênica, estabelecendo parcerias com organismos nacionais e internacionais pelo resgate dos direitos humanos. A Cáritas Brasileira atua através de 12 regionais presentes nas cinco regiões do país.

EXPERIÊNCIA

O PSAN é uma das ações de Convivência com o Semiárido, da Cáritas Brasileira. Em 2005, a Cáritas NE2 em parceria com o MDS executou a primeira etapa do PSAN em 25 municípios das Meso-Regiões do Agreste e Sertão de Pernambuco. Na época, cerca de 1.850 famílias foram beneficiadas. Na segunda etapa, em 2007, o Projeto ampliou o atendimento para mais 1.150 famílias, atingindo até 2009, um total de 3 mil famílias, beneficiando diretamente cerca de 15 mil pessoas.   

   
SERVIÇO                

Encontro de lançamento do Projeto Segurança Alimentar, Nutricional e Produtiva – PSAN/PE.
Dia 28 de junho (terça-feira), a partir das 9h.
Auditório do Monumental Hotel Monteirão, na Avenida José Magalhães de França, 165, Centro – Arcoverde/PE.

CONTATOS

Victor Hugo Balladares (81) 9223-8938 – coordenador do PSAN/PE
Pe. Jandeílson Alencar (81) 9705-6807 ou 9913-5256 – secretário da Cáritas NE2

Rede de Mulheres Tecendo a Economia Popular Solidária Participará da FENEARTE

Fonte: Secretaria Especial da Mulher
 

Dentre os produtos que serão comercializados pelas artesãs estão sandálias, camisas customizadas e bijuterias
Ao todo, 25 artesãs selecionadas da Rede de Mulheres Tecendo a Economia Popular  Solidária participarão da Feira Nacional de Negócios e Artesanato (Fenearte), uma das maiores do gênero na América Latina, que acontece entre os dias 1º e 10 de julho, no Centro de Convenções. Para se preparar para o grande evento, elas se reúnem, nesta segunda-feira (27), no Conselho Municipal da Mulher, para produzir as peças que irão decorar o espaço.
Com o objetivo de combater a degradação do Meio Ambiente, as artesãs produzirão sacolas de tecido que servirão para as embalagens dos artigos expostos, evitando assim as plásticas que são prejudiciais à natureza. Dentre os produtos que serão comercializados pelas artesãs estão sandálias, camisas customizadas, bijuterias, pesos para portas, além de peças de crochê.
Os artigos ficarão expostos em um dos dois estandes que serão montados pela Prefeitura do Recife no evento.
Rede Mulheres Tecendo a Economia Popular  Solidária – Ao todo, 109 mulheres fazem parte atualmente da Rede. As artesãs cadastradas podem participar de eventos, como feiras e seminários, dos quais a Prefeitura do Recife participa.

sábado, 25 de junho de 2011

Aconteceu em 2006 - Ministro da Venezuela Participa de Reunião no Recife

Ministro da Venezuela participa de reunião no Recife

Publicado em 12.01.2006, às 13h43 - JC Online

O Ministro de Estado para Economia Popular da Venezuela (Minep), Elias Jaua, juntamente com representantes do Fórum Venezuelano de Economia Solidária, visita o Recife nesta quinta-feira (12) para participar de uma reunião com o Fórum de Economia Popular Solidária de Pernambuco (FEPS-PE). O encontro acontece, às 16h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações de Pernambuco (Sinttep), na Rua Afonso Pena, 333, Boa Vista.
A comitiva está no Brasil para conhecer experiências que têm o princípio solidário como base. Participarão desse momento, empreendedores, entidades de assessoria como Centro Josué de Castro, Casa Mulher do Nordeste e Cáritas Brasileira Regional NE 2, que está na coordenação colegiada do FEPS-PE, além de integrantes do poder público.

Centro Sabiá - Conheça os Endereços das Feiras Agroecológicas em Pernambuco

 
Espaço Agroecológico das Graças
Rua Souza Andrade – Atrás do Colégio São Luiz. Bairro das Graças – Recife/PE.
Todos os sábados. Das 5h às 11h
Espaço Agroecológico de Boa Viagem
Praça Jules Rimet, por trás do 1º Jardim de Boa Viagem, próximo ao Parraxaxá – Recife/PE.
Todos os sábados. Das 6h às 11h.
Feira Agroecológica de Serra TalhadaPraça Sérgio Magalhães - Bairro Nossa Senhora da Penha. Serra Talhada/PE.
Todos os Sábados. Das 6h30 às 11h
Feira Agroecológica de Triunfo
Praça Carolina Campos. Centro – Triunfo/ PE.
Todas os sábados. Das 6h30 às 11h
Feira Agroecológica de Bom Jardim
Rua Manoel Augusto, em frente a farmácia Santa Luzia, próximo ao Banco do Brasil – Bom Jardim/ PE.
Todos os sábados. Das 5h às 10h30.
Feira Agroecológica de Palmares
Praça Mauriti – em frente à Prefeitura. Palmares/ PE.
Todos os sábados. Das 6h às 11h.
Feira Agroecológica de Bodocó
Ao lado da Delegacia de Polícia –Centro. Bodocó/PE.
Toda segunda – feira das 7h às 12h. 
Feira dos Produtores Agroecológicos de Sirinhaém (FEPAS)
Rua Sebastião Chaves (em frente a Prefeitura velha), Sirinhaém/PE.
Toda sexta-feira das 14h às 18h e aos sábados das 5h às 11h.

Feiras Agroecológicas de Ouricuri
Praça Padre Francisco Pedro da Silva (Praça do BNB), em frente ao teatro Carlota Peixoto. Ouricuri/PE.
Todos os sábados pela manhã. 

Ao lado do Banco do Brasil (em frente à Prefeitura). Ouricuri/PE.
Todas terças, quintas e sábados. Das 6h30 às 11h 

Empório Kaeteh – Ouricuri/PE.
De Segunda à sexta das 6h às 16h e aos sábados das das 6h30 à

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Seminário Reúne Empreendimentos Solidários do Ceará e Pernambuco na sede da CUT/CE

Fonte: http://bancariosce.org.br


 A CUT-CE foi sede na última terça-feira, dia 14/6, do Seminário Avanços e Desafios na Produção e Comercialização dos Empreendimentos de Economia Solidária, promovido pela Escola Nordeste da CUT, Projeto Ramá e Empreendimentos de Economia Solidária do Brasil (Unisol Brasil). Na ocasião foram mostradas as experiências em economia solidária dos empreendimentos cearenses e pernambucanos. E um dos temas do evento foi a apresentação do projeto Conexão Solidária

Cerca de 15 empreendimentos de Pernambuco e 50 do Ceará participaram do Seminário. Para a coordenadora do Seminário, Lúcia Silveira, da Escola de Formação Nordeste da CUT, “a diferença dos empreendimentos solidários está nas suas relações internas. Porque o mercado é o mesmo e precisamos estar preparados para ele”, defendeu a coordenadora.

O presidente da CUT/CE, Jerônimo do Nascimento, na mesa de abertura, ressaltou que, “para termos apoio, precisamos estar organizados”. Também tomaram parte na composição da mesa, a coordenadora do setorial de confecção da Unissol, Helena Laureano, e a representante do Projeto Ramá, Aldenise Coelho.

Lúcia Silveira, que está desde 1997 no movimento de economia solidária, no Seminário apresentou o tema “Estratégias de produção” para uma audiência atenta de empreendedores solidários. A coordenadora do Conexão Solidária, Luciana Martins, apresentou o projeto e as perspectivas de atuação nos próximos meses e destacou: ”temos uma grande teia de pessoas contribuindo para a economia do nosso País”.

A diversidade da produção de empreendimentos solidários no Ceará e Pernambuco foi apresentada durante uma exposição, com trabalhos dos empreendimentos em cajucultura, artesanato, confecção, doces orgânicos, chocolates caseiros, artesanato em crochê e renda, peças de confecção e serviço de buffet dos municípios cearenses de Aracati, Limoeiro do Norte, Beberibe, Ocara, Irauçuba, Mundaú, Caucaia, Fortaleza, entre outros.

Diversidade e Potencial dos Empreendimentos Solidários do Ceará e de Pernambuco São Apresentados em Evento

 Fonte:http://www.cutceara.org.br

O auditório da CUT-CE foi tomado pelas boas experiências em economia solidária nos municípios cearenses e pernambucanos. O projeto Conexão Solidária foi um dos temas de debate entre os participantes do Seminário com Empreendimentos nesta terça (14/6).

Doces orgânicos, chocolates caseiros, artesanato em crochê e renda, peças de confecção, serviço de buffet. A diversidade da produção de empreendimentos solidários no Ceará e Pernambuco foi apresentada durante esta terça-feira (14/6) na sede da CUT-CE. Mais de 60 empreendimentos dos dois estados participaram do Seminário Avanços e Desafios na Produção e Comercialização dos Empreendimentos de Economia Solidária, promovido pela Escola Nordeste da CUT, Projeto Ramá e Empreendimentos de Economia Solidaria do Brasil (Unisol Brasil).

“A diferença dos empreendimentos solidários está nas suas relações internas. Porque o mercado é o mesmo e precisamos estar preparados para ele”, defendeu a coordenadora de Formação da Escola Nordeste da CUT-CE, Lúcia Silveira, que coordenou o seminário. Desde 1997 no movimento de economia solidária, ela apresentou o tema “Estratégias de produção” para um auditório lotado pelos empreendimentos.



Ainda durante a manhã, a coordenadora do Conexão Solidária, Luciana Martins, apresentou o projeto e as perspectivas de atuação nos próximos meses. “Temos uma grande teia de pessoas contribuindo para a economia do nosso País. Para termos apoio, precisamos estar organizados”, ressaltou o presidente da CUT-CE, Jerônimo do Nascimento, durante a abertura do evento. A coordenadora do setorial de confecção da Unissol, Helena Laureano, e a representante do Projeto Rama, Aldenise Coelho, também fizeram parte da mesa.

Estiveram presentes empreendimentos em cajucultura, artesanato, confecção e serviços dos municípios cearenses de Aracati, Limoeiro do Norte, Beberibe, Ocara, Irauçuba, Mundaú, Caucaia, Fortaleza, entre outros. O seminário prossegue durante a tarde com a apresentação do Projeto Rama e relatos de experiências, avanços e desafios.



Empreendimentos solidários do Sertão do Pajeú Agregam Valor à Agricultura Familiar

Fonte : Informativo PDHC http://www.projetodomhelder.gov.br

 
Mais dois importantes empreendimentos solidários estão em processo de implantação no território Sertão do Pajeú. O primeiro deles, uma Unidade de Beneficiamento de Castanha de Cajú na comunidade de Vila de Fátima, município de Brejinho, com capacidade para beneficiar 60 toneladas ao ano de castanha in natura, um produto existente na comunidade e com grande potencial de crescimento da oferta. O grupo de interesse, formado por 14 agricultores, jovens e mulheres, recebeu capacitação através de aulas práticas para o processo de beneficiamento da castanha. A comunidade comemora o início do funcionamento da unidade e a assinatura do convênio do projeto, financiado em R$ 15.600 mil para aquisição de matéria-prima. A presidente da Associação de Vila de Fátima, D. Maria Ita, emocionada assinou o documento na presença dos beneficiários, da equipe técnica da Coopagel (parceira responsável pela assessoria técnica) e da equipe do Projeto Dom Helder Camara. Representando o diretor do PDHC, Espedito Rufino. Coordenador de Planejamento do Projeto, Walmar Jucá informou que os investimentos feitos na Unidade já totalizam R$ 82.167 mil. "O processo de desenvolvimento da agricultura familiar, a partir de uma concepção de inclusão social, produtiva e econômica, em harmonia com o meio ambiente e com a cultura local tem promovido grandes avanços na melhoria de vida das famílias apoiadas pelo Projeto Dom Helder Camara", analisa Adelmo Santos, supervisor da Unidade de Supervisão Local do PDHC.

O outro empreendimento, em Santa Terezinha, no assentamento Boa Vontade I, trata de um convênio que objetiva o aproveitamento do potencial da cana-de-açúcar para produção de rapadura, mel de engenho e açúcar mascavo. "A comunidade reivindicou do Projeto Dom Helder Camara a recuperação e ampliação de um antigo engenho de rapadura, com investimentos iniciais na obra física da ordem de R$ 71.271 mil", explica Adelmo. Os agricultores assentados do local também comemoraram a assinatura do convênio do projeto de aquisição dos equipamentos e instalação de rede elétrica da unidade de beneficiamento de cana-de-açúcar, no valor de R$ 78.297 mil.  Segundo os dados, o engenho irá beneficiar direta e indiretamente 100 famílias do assentamento e de outras comunidades de agricultura familiar. A unidade inicia o processo produtivo na safra de 2011.

"As prefeituras de Brejinho e de Santa Terezinha estão sendo importantes parceiras nesses dois projetos, através da construção dos acessos aos empreendimentos e de compra da maior parte da produção para a merenda escolar", registra o supervisor. Para ele, os produtos da cana-de-açúcar e da castanha de caju são de grande potencial.

Encontro das Cooperativas do Nordeste Reúne 70 Empreendimentos em Recife

Fonte: Informativo UNICAFES - http://www.unicafes.org.br/noticia.php?id=294


 


Recife sedia a partir de hoje (20/06) o II Encontro das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Nordeste. Organizado pela Unicafes PE (União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Pernambuco), o encontro reuniu cerca de 70 empreendimentos cooperativos de todos os estados da Região e mais representantes da Unicafes Nacional e outros ramos cooperativos organizados, como assistência técnica e crédito.
O objetivo do encontro é discutir estratégias para o fortalecimento e expansão do cooperativismo solidário na Região, além de antecipar as preposições da Região para o III Congresso Nacional do Cooperativismo Solidário que deverá ocorrer em julho, em Brasília. Além disso, a interação entre os três principais ramos cooperativos será umas das principais ações do encontro que proporcionará oficinas de discussão para avançar na organização das cooperativas em cada uma de suas áreas de atuação.
 “Ainda temos muito a caminhar. O ideal era termos a Unicafes constituída em todos os estados do Nordeste. Hoje estamos constituídos apenas na Bahia, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco. Nosso objetivo maior é o fortalecimento e a expansão das Unicafes nos estados que ainda não se organizaram. Já temos um trabalho de discussão em Sergipe, Alagoas e Paraíba e esperamos que a partir de hoje essas sementes possam germinar. Esperamos que as pessoas desses estados, que estão aqui, voltem para  suas cooperativas e mostrem as nossas experiências”, afirmou a presidente da Unicafes Pernambuco, Bárbara Lima.
A expectativa dos organizadores é que o Encontro possa fomentar o cooperativismo solidário na Região e principalmente nos estados onde a Unicafes não está constituída. Nas palavras de Bárbara, “é o momento de fazer acontecer. Precisamos dar atenção a todos os empreendimentos solidários da região, precisamos nos integrar e nos fortalecer juntamente. Fazer valer nosso papel e mostrar nossa importância no desenvolvimento social e econômico. Estamos integrados. Não somos um movimento isolado. Estamos integrados com MST, movimento sindical, economia solidária. Estamos inseridos nessas batalhas, pois nossos agricultores familiares e empreendedores solidários já estão ligados a outras lutas, que também são nossas lutas¨. 

quarta-feira, 22 de junho de 2011

terça-feira, 21 de junho de 2011

Videoconferência Mobiliza Fóruns Locais e Define Posicionamento do FBES Frente ao PL 865

Fonte: Secretaria Executiva do FBES

A videoconferência convocada pela Coordenação Executiva do FBES dia 09 contou com a presença de cerca de 200 membros dos fóruns locais de economia solidária, e teve o objetivo de realizar um balanço e (re)posicionamento do FBES após as audiências públicas estaduais e nacional frente ao PL 865.
Para organizar o debate foi apresentada uma síntese das audiências públicas já realizadas, tanto dos posicionamentos defendidos, quanto da presença quantitativa das participações pelo país.
Cada estado participante da videoconferência trouxe sua posição com base nos debates nos fóruns estaduais e na audiência estadual quando já realizada. O posicionamento de convergência com relação a nova sequência de diálogos e negociações frente ao governo foi de que:

Não temos casa, nem SEMPE nem MTE. Continuaremos nossa luta pela secretaria especial. Para isso, a SENAES, esteja onde estiver, tem que ter aumento de estrutura/cargos (os 4 departamentos propostos no nosso documento), orçamento (300 ou 500 milhões), uma linha do FAT de 1 bilhão, o CNES ligado à presidência, um programa temático do PPA específico para a ES e desenvolvimento territorial, e capacidade de articular as ações nos demais ministérios que sejam de ES, de modo a apontar para a criação de uma secretaria especial ou ministério da ES no futuro. Isso é o que queremos. O governo deve decidir, por sua conta, em qual lugar consegue garantir estas condições para a SENAES, lembrando que, se sua opção for a SEMPE, ela deve continuar com o nome de SEMPE (sem ES no nome), pois não é nossa casa, mas o lugar em que ficará a SENAES por opção DO GOVERNO, e não do movimento.

Com base nesta posição, a Coordenação Executiva do FBES dará sequência nas negociações e, para isso, irá publicizar em breve um documento com a síntese da caminhada efetuada junto as audiências públicas, mobilizações e na videoconferência.
Estiveram presentes na videoconferência nas salas dos colégios: ES/ Vila Velha,MG/ Contagem, MG/ Montes Claros, MG/ Uberaba, PA/ Belém, RJ/ RJ, BA/ Salvador, RN/ Natal, TO/ Palmas, DF/ Brasília, GO/ Goiânia, CE/ Fortaleza, PE/ Recife, Al/ Maceió, PB/ João Pessoa. Além de membros que acompanharam pelo bate papo nos estados de: AL, AP, PI, SP, MS, e ainda, membros dos fóruns locais que estavam em atividade dos programas Brasil Local região sul e CFES região sul.

Seminário Agroecologia NECSO - Apresentação de Resultados Preliminares Pesquisa Metodologias de Ater

Esse evento visa apresentar os resultados preliminares da pesquisa "Metodologias inovadoras em ação: sistematização, análise e comparativo de metodologias de extensão rural agroecológica". O NECSO é parceiro da Incubadora OASIS (UFRN) junto com aUFERSA na realização desse estudo que conta com financiamento de um convênio do CNPq e MDA. Os resultados finais deverão ser apresentados num evento em Natal (em data ainda a ser definida) e também publicados em livro. Todas essas informações serão também disponibilizadas aqui no site do NECSO.

Na ocasião também será discutido outro projeto de pesquisa do NECSO, Ocupação e Renda em Feiras Agroecológicas: o caso de Recife, Pernambuco, que terá início no mês de julho.
Todos os participantes receberão declaração de participação (incluindo a carga horária).
Para chegar ao local do evento, segue abaixo um mapa de como chegar no PADR-UFRPE (basta clicar para ampliar).

(Local do Seminário - Clique na imagem para ampliar)

Fonte: Éder Leão

Pernambuco Terá Dois Representates no I Encontro Nacional de Pontos Fixos de Comercialização Solidária


Fonte: Instituto Marista de Solidariedade


"A União Brasileira de Educação e Ensino – Instituto Marista de Solidariedade (UBEE/IMS), o Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES) e a Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego (SENAES/MTE) têm a satisfação em anunciar o RESULTADO DO EDITAL Nº 01/2011 – Seleção de Pontos Fixos para o I Encontro Nacional de Pontos Fixos de Comercialização Solidária, que irá acontecer nos dias 07, 08 e 09 de julho de 2011, em Santa Maria (RS).
O objetivo do encontro é debater as principais estratégias de comercialização em economia solidária no Brasil, além de construir propostas coletivas para fortalecimento e consolidação destas iniciativas.
De acordo com o Termo de Referência, foram contempladas as seguintes modalidades como Pontos Fixos:

- Feiras Permanentes de Economia Solidária e/ou Agroecologia;
- Lojas (mercearia, mercado, bodega, quitanda, botecos, quiosque, central, trailler, empório, armazém, venda);
- Centros Públicos de Economia Solidária (comercialização);
- Comercialização Solidária Eletrônica (e-comerce) – sites pela internet."

Veja no link abaixo o resultado completo do Edital.

Pernambuco teve selecionado para este encontro dois represntantes, que foram:

Em Recife o Comercio Etico e Solidario de Prod. Agrop. E Artesanais do Brasil Ltda (Categoria Ecomerce/site) e em Afogados Ingazeira a Rede de Mulheres Produtores do Pajeu (Categoria Loja) que apresenta a sua Loja Movel (trailler).
Foto: Artur Melo/UNEES
Foto: Artur Melo/UNEES
Foto: Artur Melo/UNEES
Foto: Artur Melo/UNEES


Fica registrado mais uma vez os nossos parabéns as companheiras do Sertão do Pajeú pelo belo trabalho que é realizado pela Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú. O nosso Blog esteve presente no lançamento da Loja Movel durante o Festival de Economia Solidária de Afogados da Ingazeira em 2010 que fez parte do Projeto Nacional de Comercialização Solidária (IMS/SENAES) onde fizemos o registro fotografico.

domingo, 19 de junho de 2011

Oficina Sobre o PNAE e PAA em Paulista.



CONVITE

A COOMSERA convida a tod@s a participarem da oficina sobre o PNAE (Programa Nacional de alimentação Escolar ) e PAA (Programa de aquisição de Alimentos) com doação simultânea com os agricultores(as) da mata do ronca em Paulista. Está reunião ocorrerá no dia 20/06/2011 ás 09:00Hs. no sitio de D.Irene que fica logo após a Igreja Brasil  Novo no assentamento Mata do Ronca na Mirueira em Paulista.

Agredece.

Fábio Roberto
COOMSERA/MAPRA

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Projeto Camaragibe Em Percursão Para O Futuro - Inscrições Abertas

Fonte: Ceça Santos - Camaragibe - PE 
Fone: (81) 8801.4872 / 3458.2915:
 
 
INSCRIÇÕES PARA PARTICIPAR DO PROJETO CAMARAGIBE EM PERCUSSÃO PARA O FUTURO SERÁ NESTE SÁBADO DIA 18 DE JUNHO DAS 09H00 AS 17H00
 
Camaragibe em Percussão Para o Futuro é um projeto social que foi selecionado através do Edital de Seleção Pública de Projetos Sociais 2010 do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, apresentado pelo – Centro Macambira. O projeto propõe a criação de uma unidade produtora de instrumentos musicais voltada para o mercado cultural, que visa a formação no ofício de Lutiê, ensinando técnicas artesanais de confecção de instrumentos de percussão para jovens com idade entre 18 e 29 anos, residentes nas comunidades do Timbi, Celeiro, Céu Azul, Bourrione e Santa Teresa na cidade de Camaragibe / PE.
Venha conhecer melhor este projeto.
 
Sábado: dia 18 de junho
Hora: 09h00 as 17h00,
Endereço: Rua dos Medico nº 160 – Timbí.
Referencia: a mesma Rua do Balneário São Francisco.
Contatos: 8801.4872 - Ceça Santos - Eudes Germano - 8573.3385
Email: percussaoparaofuturo@gmail.com

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sustentabilidade: Agora Existe Regra Para Usar Esta Palavra

Fonte: e-solidaria (FBES).









O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, Conar divulgou hoje, em sua sede, em São Paulo, novas normas para a publicidade que contenha apelos de sustentabilidade.

O Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, documento que, desde 1978, reúne os princípios éticos que regulam o conteúdo das peças publicitárias no país, já continha recomendações sobre o tema mas elas foram inteiramente revisadas, sendo reunidas no artigo 36 do Código e detalhadas no Anexo U.

O sentido geral das novas normas é reduzir o espaço para usos do tema sustentabilidade que, de alguma forma, possam banaliza-lo ou confundir os consumidores. Além de condenar todo e qualquer anúncio que estimule o desrespeito ao meio ambiente, o Código recomenda que a menção à sustentabilidade em publicidade obedeça estritamente a critérios de veracidade, exatidão, pertinência e relevância.

Um anúncio que cite a sustentabilidade deve, assim, conter apenas informações ambientais passíveis de verificação e comprovação, que sejam exatas e precisas, não cabendo menções genéricas e vagas. As informações devem ter relação com os processos de produção e comercialização dos produtos e serviços anunciados e o benefício apregoado deve ser significativo, considerando todo seu ciclo de vida.

As novas normas incorporam o princípio que orientou a revisão, em 2006, das regras éticas para a publicidade de produtos e serviços que visam crianças e adolescentes, que considera que a publicidade deve ser fator coadjuvante na formação dos cidadãos. Este princípio está resumido nas frases que servem de introdução ao Anexo U:

“É papel da Publicidade não apenas respeitar e distinguir, mas também contribuir para a formação de valores humanos e sociais éticos, responsáveis e solidários. O Conar encoraja toda Publicidade que, ao exercer seu papel institucional ou de negócios, também pode orientar, desenvolver e estimular a sociedade objetivando um futuro sustentável”.

As novas normas entram em vigor em 1º de agosto e valem para todos os meios de comunicação, inclusive a internet.

Confira a íntegra das novas normas:

Artigo 36 do Código 
A publicidade deverá refletir as preocupações de toda a humanidade com os problemas relacionados com a qualidade de vida e a proteção do meio ambiente; assim, serão vigorosamente combatidos os anúncios que, direta ou indiretamente, estimulem:

  1. a poluição do ar, das águas, das matas e dos demais recursos naturais;
  2. a poluição do meio ambiente urbano;
  3. a depredação da fauna, da flora e dos demais recursos naturais;
  4. a poluição visual dos campos e das cidades;
  5. a poluição sonora;
  6. o desperdício de recursos naturais.

 Parágrafo único
Considerando a crescente utilização de informações e indicativos ambientais na publicidade institucional e de produtos e serviços, serão atendidos os seguintes princípios:

  1. veracidade – as informações ambientais devem ser verdadeiras e passíveis de verificação e comprovação;
  2. exatidão – as informações ambientais devem ser exatas e precisas, não cabendo informações genéricas e vagas;
  3. pertinência – as informações ambientais veiculadas devem ter relação com os processos de produção e comercialização dos produtos e serviços anunciados;
  4. relevância – o benefício ambiental salientado deverá ser significativo em termos do impacto total do produto e do serviço sobre o meio ambiente, em todo seu ciclo de vida, ou seja, na sua produção, uso e descarte.

 Anexo U - Apelos de sustentabilidade

É papel da Publicidade não apenas respeitar e distinguir, mas também contribuir para a formação de valores humanos e sociais éticos, responsáveis e solidários.

O CONAR encoraja toda Publicidade que, ao exercer seu papel institucional ou de negócios, também pode orientar, desenvolver e estimular a sociedade objetivando um futuro sustentável.

REGRA GERAL

(1) Para os efeitos deste Anexo, entender-se-á por “Publicidade da Responsabilidade Socioambiental e da Sustentabilidade” toda a publicidade que comunica práticas responsáveis e sustentáveis de empresas, suas marcas, produtos e serviços.

(2) Para os efeitos deste Anexo, entender-se-á por “Publicidade para a Responsabilidade Socioambiental e para a Sustentabilidade” toda publicidade que orienta e incentiva a sociedade, a partir de exemplos de práticas responsáveis e sustentáveis de instituições, empresas, suas marcas, produtos e serviços.

(3) Para os efeitos deste Anexo, entender-se-á por “Publicidade de Marketing relacionado a Causas” aquela que comunica a legítima associação de instituições, empresas e/ou marcas, produtos e serviços com causas socioambientais, de iniciativa pública ou particular, e realizada com o propósito de produzir resultados relevantes, perceptíveis e comprováveis, tanto para o Anunciante como também para a causa socioambiental apoiada.

Além de atender às provisões gerais deste Código, a publicidade submetida a este Anexo deverá refletir a responsabilidade do anunciante para com o meio ambiente e a sustentabilidade e levará em conta os seguintes princípios:

 1. CONCRETUDE
As alegações de benefícios socioambientais deverão corresponder a práticas concretas adotadas, evitando-se conceitos vagos que ensejem acepções equivocadas ou mais abrangentes do que as condutas apregoadas.

A publicidade de condutas sustentáveis e ambientais deve ser antecedida pela efetiva adoção ou formalização de tal postura por parte da empresa ou instituição. Caso a publicidade apregoe ação futura, é indispensável revelar tal condição de expectativa de ato não concretizado no momento da veiculação doanúncio.

 2. VERACIDADE
As informações e alegações veiculadas deverão ser verdadeiras, passíveis de verificação e de comprovação, estimulando-se a disponibilização de informações mais detalhadas sobre as práticas apregoadas por meio de outras fontes e materiais, tais como websites, SACs (Seviços de Atendimento ao Consumidor), etc.

 3. EXATIDÃO E CLAREZA
As informações veiculadas deverão ser exatas e precisas, expressas de forma clara e em linguagem compreensível, não ensejando interpretações equivocadas ou falsas conclusões.

 4. COMPROVAÇÃO E FONTES 
Os responsáveis pelo anúncio de que trata este Anexo deverão dispor de dados comprobatórios e de fontes externas que endossem, senão mesmo se responsabilizem pelas informações socioambientais comunicadas.

 5. PERTINÊNCIA 
É aconselhável que as informações socioambientais tenham relação lógica com a área de atuação das empresas, e/ou com suas marcas, produtos e serviços, em seu setor de negócios e mercado. Não serão considerados pertinentes apelos que divulguem como benefício socioambiental o mero cumprimento de disposições legais e regulamentares a que o Anunciante se encontra obrigado.

 6. RELEVÂNCIA
Os benefícios socioambientais comunicados deverão ser significativos em termos do impacto global que as empresas, suas marcas, produtos e serviços exercem sobre a sociedade e o meio ambiente - em todo seu processo e ciclo, desde a produção e comercialização, até o uso e descarte.

 7. ABSOLUTO
Tendo em vista que não existem compensações plenas, que anulem os impactos socioambientais produzidos pelas empresas, a publicidade não comunicará promessas ou vantagens absolutas ou de superioridade imbatível. As ações de responsabilidade socioambiental não serão comunicadas como evidência suficiente da sustentabilidade geral da empresa, suas marcas, produtos e serviços.

 8. MARKETING RELACIONADO A CAUSAS
A publicidade explicitará claramente a(s) causa(s) e entidade(s) oficial(is) ou do terceiro setor envolvido(s) na parceria com as empresas, suas marcas, produtos e serviços.

O anúncio não poderá aludir a causas, movimentos, indicadores de desempenho nem se apropriar do prestígio e credibilidade de instituição a menos que o faça de maneira autorizada.

As ações socioambientais e de sustentabilidade objeto da publicidade não eximem anunciante, agência e veículo do cumprimento das demais normas éticas dispostas neste Código.


MAIORES INFORMAÇÔES: http://www.conar.org.br/

ASA PE e Governo do Estado Discutem o Combate à Desertificação.

Fonte: Arméle Dornelas - Comunicadora Popular
Cáritas Diocesana e membro do núcleo de comunicação da ASA PE

Nos dias 16 e 17 de junho, na cidade de Pesqueira, a Articulação no Semiárido Pernambucano (ASA PE) junto a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade, a Secretaria Executiva de Agricultura Familiar e a Secretaria de Recursos Hídricos realizarão uma Oficina que discutirá ações para a implementação do Programa de Ação Estadual de Pernambuco para o Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE-PE).
O PAE foi desenvolvido através de uma ação conjunta de diversos segmentos da sociedade, entre eles a ASA PE, e significa um importante passo para Pernambuco. Dessa forma, a concepção da oficina se torna essencial para sua concretização. Ela terá representantes de cada articulador do evento, somando cerca de 40 participantes.  
Serão abordadas as perspectivas em torno das políticas públicas e de ações de preservação e conservação, assim como, a questão do mercado sustentável e da infraestrutura necessária para ações contra essa degradação ambiental. A busca por um diálogo em comum e a compreensão da abrangência do plano para o combate à desertificação nortearão, dessa forma, as discussões e atividades do evento. O direcionamento para a efetivação concreta de atitudes favoráveis ao cumprimento dos objetivos do PAE se torna um importante ponto a ser construído.
O gestor de projetos de combate à desertificação da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier, fala que o papel da ASA foi e continua sendo fundamental nesse processo. “A ASA esteve conosco desde o começo, não seria coerente discutirmos ações nesse sentido sem sua importante participação, principalmente porque o combate à desertificação é um assunto bastante recorrente nas suas atividades” diz Sérgio.  
Debater um programa de combate a essa degradação ambiental se torna estratégico para a ASA. Nesse sentido, a coordenadora executiva da ASA PE, Neilda Pereira, coloca o posicionamento e a expectativa do Fórum sobre o evento dos dias 16 e 17: “A ASA PE vem dialogando com o Governo do Estado para que as ações previstas no programa sejam desenvolvidas. Dessa forma, acreditamos que a oficina possa de fato resultar em proposições concretas para o desenvolvimento dessas ações, contribuindo assim para a melhoria da qualidade de vida das pessoas”.

Informações:
Oficina de Combate à Desertificação
Data: 16 e 17 de junho de 2011
Horário: Início às 9h do dia 16 e término às 15h do dia 17 de junho
Local: Seminário São José, Rua Comendador José Didier, S/N, Centro – Pesqueira/PE

Contato
Arméle Dornelas
Comunicadora Popular
Cáritas Diocesana e membro do núcleo de comunicação da ASA PE

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Dilce disse ! Então está dito !

Dilce Feitosa - GAESC/Camaragibe
É com o maior prazer que informamos que apartir de hoje, nosso blog contará com o apoio "luxuoso" de de nossa Companheira do GAESC/Camaragibe, Dilce Feitosa. A Companheira esta com uma coluna falando sobre Meio Ambiente. Dilce que também é Conselheira no Conselho Estadual de Economia Popular Solidária e participante ativa do Fórum Estadual (FEPS-PE) e da Rede de Educadores em Economia Solidária do Estado de Pernambuco. Portanto: Dilce disse ! Então está dito!
Artur Melo
UNEES

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Fórum do Agreste Central Realiza Reunião.



Com o objetivo de retornar as atividades e preparar um planejamento para o segundo semestre deste ano, o Forum de Economia Popular Solidária do Agreste Central - FEPS-AC, realizou neste dia 08/06/2011 reunião na cidade de Gravatá na sede do Empreendimento Solidário Artgravata. Estiveram presentes representantes dos tres seguimentos que compõe o Forum Regional.
Foto: Artur Melo/UNEES
Os principais pontos levantados para o retorno das atividades elencados foram:
1) Formação: Realizar duas atividades formativas para o artesanato ainda este ano envolvendo as tres regiões do agreste."A Cáritas irá dar apoio e facilitará estas atividades." (Ângelo Zanré/Cáritas Regional NE II).
2) Captação de Recursos: Procurar meios de captar recursos para comercialização e capital de giro. "O que atrapalha de produzir e crescer é a burocracia neste pais."(Bernardete/Casa da Mulher de Gravatá).
Foto: Artur Melo/UNEES
3) Realização de uma plenaria regional com as tres regiões do Agreste.
"Já realizamos dois encontros aqui no Agreste, Caruaru e Gravatá, precisamos unir as ações que os gestores e as assessorias tem voltadas para os empreendimentos." (Mário Sergio/Artgravatá).
Foto:  Artur Melo/UNEES
4) Continuidade das reuniões mensais. A proxima reunião será no dia 12/06/2011 no EES Artgravata na cidade de Gravatá.

Estiveram presentes nesta reunião preparatoria: Maria de fatima (Estação do Artesão), Dayvison Barbosa (CTC Gravatá), Bernardete Barbosa (Casa da Mulher de Gravatá), Mário Sérgio (Artgravatá), Ângelo Zanré (Càritas Regional NE II), Miriam Passos (Secr. de Ação Social/Bezerros), Miriam Carvalho (Secr. de Juventude e Emprego/Bezeros), Maria da Paz (Artgravatá), Ricardo Paz (Estação do Artesão/Gravatá) e os convidados  Luciana Mafra (UFRN) e Artur Melo (UNEES).

Reunião do Fórum de Economia Popular Solidária da Região Metropolitana do Recife - FEPS-RMR

Mulheres de ONG Combatem Cultura do Desperdicio

Fonte: Jornal do Commercio (05/06/2011)
Caderno Especial Meio Ambiente.
 Foto: Michele Souza/JC Imagem
Maria Cristina - Rede de Mulheres

O professor da UFRPE jacques Ribemboim destaca que o engajamento dos cidadões é fundamental. "No Brasil, sobretudo no Nordeste, não há cultura de participação popular. Mas a sociedade precisa contribuir. Cada um deve fazer sua párte." Ribemboim diz que o poder público tem papel central na mudança dessa cultura de desperdicio.
"Os governos poderiam adotar medidas que, embora parecessem impopulares, desempenhariam um papel em defesa dos recursos naturais, como a taxação sobre produtos e atividades poluidoras, como o full princing, aplicado em países como Alemanha e Holanda", questiona.
Em consonancia com o consumo consciente, a ONG Casa da Mulher do Nordeste (CMN) desenvolve a campanha "O Que Você Consome é Essencial Para Sua Vida". Voltada para o consumo consciente e solidário, a proposta é sensibilizar a população para a necessidade de serem adotadas práticas de consumo para uma vida saudável e com justiça social e ambiental.
Em dois meses de campanha, as mulheres já observam pontos positivos. Veneranda Vidal, uma das coordenadoras da Rede de Mulheres Produtoras do Recife e Região Metropolitana, ligada a CMN, e do Grupo Lírio do Vale, aponta cuidados que toma na hora da compra. "Tudo o que vou comprar, já penso na  frase da campanha. Como trabalho com produtos de limpeza e cosmeticos, retiro da composição dos produtos substancias como formol. Também substituímos corantes poluantes por ervas ou corantes comestiveis, que não agridem o ambiente, sem falar que fazemos o sabão com óleo de cozinha."
A artesã Maria Cristina de Sousa, que coordena a Rede de Mulheres e faz parte doAteliê Moda Recife, destaca que esse é um trabalho de  conscientização. "É um trabalho de formiguinha. É mais fácil as pessoas jogarem coisas fora do que juntarem. Mas quando entendem que aquela gordura do òleo de cozinha é  que se acumula no ralo da pia e que ele polui os lençois de agua ou podem obter renda com retalho de tecido, elas começaram a se interessar."
Apelando para a valorização do orçamento domestico, Maria Cristina convenceu uma vizinha de que o dinheiro gasto em roupa para as filhas poderia ser reinvestido nelas mesmas, atendendo a outras necessidades."Mostrei que roupa não é um produto descartavel. Agora as filhas dela compram roupa umas duas vezes por ano. Com a economia, uma das meninas já pôde colocar aparelho nos dentes".

segunda-feira, 6 de junho de 2011

MPF Pede Suspensão de Licença Para Belo Monte.

Fonte: Estadão.com.br



O Ministério Público Federal no Pará ajuizou hoje a 11ª ação civil pública por problemas no licenciamento da usina hidrelétrica de Belo Monte. O processo pede a suspensão da Licença de Instalação (LI), concedida para o início das obras, e aponta o descumprimento das condições prévias.

Segundo parecer técnico do Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) sobre as obras preparatórias, 40% das condicionantes não foram cumpridas pela Norte Energia S.A., responsável pela construção. Entre as condicionantes estavam investimentos nas áreas de saúde, educação, saneamento, levantamentos das famílias atingidas e navegabilidade. Os técnicos do Ibama constataram ainda que obras para saúde e educação declaradas pelo empreendedor não foram encontradas.

O MPF não aceita que o Ibama tenha concedido a licença, justificando que há condições "em cumprimento" ou "parcialmente atendidas". Ao não cumprir suas próprias exigências para Belo Monte, o órgão teria atingido o "limite da irresponsabilidade".

.

[link=http://www.recados-animados.com] [/link] [b]Mais recados? http://www.recados-animados.com[/b]

O Analfabeto Politico.

O Analfabeto Politico.
O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais. Bertold Brecht

RADIO ARTANA -Bom gosto e qualidade.