Contatos:

economiasolidariaempernambuco@yahoo.com.br

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

terça-feira, 21 de agosto de 2012

I Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária

O Centro de Formação em Economia Solidária do Nordeste (CFES-NE), localizado na Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares do Departamento de Educação (Incubacoop/DED/UFRPE) promove o I Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária, que será realizado no Campus Dois Irmãos da UFRPE, no período de 21 a 23 de agosto de 2012.

A abertura será no dia 21, às 10h, no Salão Nobre. Nos dias seguintes, as demais atividades acontecerão nas salas de aulas do Departamento de Educação. O CFES-NE, desde 2009, realiza ações para formação de educadores e educadoras de Economia Solidária organizados em redes em todos os estados do Nordeste. Esse seminário é o momento de conclusão desse processo, cujo tema central é Educação Popular e Formação de Educadores e Educadoras na Construção da Sustentabilidade.

A realização conta com a parceria do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária. O público participante é formado por educadores e educadoras populares das redes de formação de cada estado do NE; representantes dos movimentos sociais; pesquisadores/as; estudantes e profissionais interessados nas temáticas.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Carta de Adesão ao Fórum de Economia Popular Solidária da Região Metropolitana do Recife - FEPS-RMR.



Para aderir ao Fórum de Economia Popular Solidária da Região Metropolitana do Recife - FEPS-RMR, o Empreendimento Econômico Solidário ou Entidade de Apoio e Fomento ou Gestão Publica, deverá preencher o formulário e enviar para o FEPS-RMR para ser aprovado. Pedimos para que o proponente leia atentamente o Regimento Interno do FEPS-RMR antes de responde-lo. Ao enviar o presente formulário, declara que concorda e acatará com o Regimento do FEPS-RMR.


Segue o link para ser preenchido:
https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?fromEmail=true&formkey=dHNFVnNxVkVpQnU5QllJdEhaR1FYZXc6MQ

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

I Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária

Olá a Tod@s
Estamos nos aproximando do nosso seminário. A atividades serão realizadas na UFRPE - Rua Dom Manoel de Medereiros s/nº, Dois Irmãos - Recife. Para quem precisar de indicações de local de alojamento enviar e-mail para Concita, e-mail: concita83@gmail.com. Próximos ao local das atividades tem opções de alimentação que serão informadas no credenciamento.
Estamos planejando um grande momento de partilha e interação no final de seminário entre tod@s @s participantes para o qual seria importante cada um/a trazer uma lembrança de sua terra, de seu trabalho, de sua comunidade para ser trocada. Assim é fundamental que tod@s participem!
Vamos lá, faltam 12 dias para nosso Seminário
Abraço grande

        Comissão Organizadora do I Seminário Nordestino de Educação Popular e Economia Solidária.

Edital para contratação de agente de desenvolvimento solidário em Pernambuco

A Guayi, entidade responsável pela execução do Projeto Brasil Local Economia Solidária e Feminista, lançou edital para a contratação de duas/dois profissionais, sendo um especificamente no Estado de Pernambuco para compor a equipe local como Agente de Desenvolvimento Solidário.

Em anexo, o edital em PDF.
Maiores informações também podem ser obtidas no site da Guayi: www.guayi.org.br

Solidariamente
Nani Mariani

Pernambuco oficializa adesão ao novo modelo do PAA

Ministra Tereza Campello e governador Eduardo Campos assinam documento com as mudanças na forma de execução do programa


Brasília, 9 – A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, assinaram nesta quinta-feira (9) o termo de adesão do estado ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). O documento oficializa a mudança na forma de execução do programa no estado, o que permitirá expandir o PAA a mais municípios e alcançar novos públicos.
Com a assinatura do documento pelo governo de Pernambuco, chega a 11 o número de unidades da federação que já aderiram ao novo PAA. Distrito Federal, Piauí, Acre, Paraíba, Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará, Rondônia e Rio Grande do Sul já assinaram os termos de adesão.
Atualmente, o PAA é executado em parceria com estados por meio de convênio. O novo modelo, que substitui os convênios pela adesão, permitirá executar o programa de forma continuada e menos burocrática.
Nessa nova forma, estados e municípios continuam desenvolvendo as operações de aquisição e de destinação dos alimentos, e o governo federal é o responsável pelo pagamento aos fornecedores do programa, por meio de cartão bancário, o que permite aos beneficiários fazer saques e operações de débito em estabelecimentos comerciais.
Outra mudança importante refere-se à contrapartida. Estados e municípios que tenham aderido ao programa não precisarão mais fornecer recursos financeiros para a execução do programa, como se dá nos convênios. Há ainda a previsão de que a União contribua para o pagamento de despesas operacionais do programa, a partir do estabelecimento de metas.
O PAA prevê a aquisição de alimentos de públicos específicos, com dispensa de licitação, a preços compatíveis com os dos mercados regionais. Os produtos são destinados a ações de alimentação empreendidas por entidades da rede socioassistencial; equipamentos públicos de alimentação e nutrição, como Restaurantes Populares, Cozinhas Comunitárias e Bancos de Alimentos; e para famílias em vulnerabilidade social. Esses alimentos contribuem para a formação de cestas distribuídas a grupos populacionais específicos.
O público apto a fornecer alimentos ao PAA inclui agricultores familiares, assentados da reforma agrária, silvicultores, aquicultores, extrativistas, pescadores artesanais, indígenas e integrantes de comunidades remanescentes de quilombos rurais e demais povos e comunidades tradicionais.
Valéria Feitoza

Ascom/MDS

(61) 3433-1021

www.mds.gov.br/saladeimprensa



domingo, 5 de agosto de 2012

Economia Solidária e Eleições 2012



Olá companheiros/as das coordenações nacional, estadual, regional e municipal do (FBES,FEPS-PE, FEPS Regionais e Municipais)
Para contribuir na incidência dos fóruns locais nas eleições municipais deste ano, enviamos este comunicado com orientações e um modelo de carta de compromisso para os/as candidatos/as.
Orientações

* Sugerimos que os fóruns estaduais e locais realizem reuniões com os candidatos/as para provocar a pauta e requerer o compromisso dos mesmos com a economia solidária.
* Orientamos os fóruns com relação a candidatos/as que sejam representantes do FBES: candidatos/as que sejam integrantes de Coordenação Nacional, Estadual ou Municipal não podem representar nenhuma das instâncias do FBES em período eleitoral, desligando-se das representações.
* Abaixo segue uma proposta e modelo de carta junto aos candidatos/as, para que os fóruns de economia solidária possam adaptar às necessidades e características locais da economia solidária.
Compromissos com a Economia Solidária
Caro candidato/a às eleições municipais 2012,
O movimento de economia solidária solicita o seu compromisso com a temática da economia solidária na sua plataforma de campanha eleitoral e proposta de política. Neste sentido, pedimos sua assinatura e comprometimento com as seguintes pautas:
1. Fomentar e/ou fortalecer a integração da Política Municipal de Economia Solidária com as estratégias de desenvolvimento sustentável do município.
2. Constituir o Sistema Municipal de Economia Solidária (SIMES) para impulsionar o fortalecimento da economia solidária e possibilitar a articulação entre os diferentes níveis de governo.
3. Garantir recursos para os programas e as ações de financiamento aos empreendimentos de economia solidária.
4. Aprimorar os instrumentos legais que viabilizem os empreendimentos da economia solidária e facilitem a sua formalização.
5. Promover um ambiente institucional favorável ao desenvolvimento da economia solidária, garantindo recursos, aprimorando os procedimentos para acesso a recursos públicos, crédito e formalização dos empreendimentos.
6. Possibilitar o acesso dos trabalhadores/as da economia solidária ao conhecimento e desenvolvimento de tecnologia social.
7. Fomentar políticas de formação, assessoria técnica e qualificação profissional adequados aos trabalhadores/as da economia solidária.
8. Ampliar o acesso dos/as trabalhadores/as da economia solidária à educação em todos os níveis.
9. Desenvolver e fomentar mecanismos de finanças solidárias adequados ao financiamento dos empreendimentos solidários.
10. Viabilizar recursos públicos para capital de giro, custeio e para a aquisição de equipamentos e infraestrutura.
11. Fomentar iniciativas de comercialização solidária e fortalecer mecanismos que facilitem o acesso às compras públicas de bens e serviços.
12. Fortalecer a transversalidade das políticas públicas da economia solidária em articulação com os diferentes setores e políticas de governo.
13. Possibilitar o aprimoramento das políticas governamentais investindo na sua capacidade para elaboração, gestão e execução das políticas públicas para o setor.
14. Criar e/ou fortalecer o Conselho Municipal de Economia Solidária como promotor das Conferências Municipais da Economia Solidária, da participação, do controle social e do acompanhamento das políticas e programas de economia solidária.

Local e Data.
______________________________

Nome do/a candidato/a

.

[link=http://www.recados-animados.com] [/link] [b]Mais recados? http://www.recados-animados.com[/b]

O Analfabeto Politico.

O Analfabeto Politico.
O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais. Bertold Brecht

RADIO ARTANA -Bom gosto e qualidade.