Contatos:

economiasolidariaempernambuco@yahoo.com.br

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Desfecho da Campanha SOS Ecocentro Bicho do Mato


De: Thomas Enlazador
Enviadas: Quarta-feira, 30 de Maio de 2012 11:04
Assunto: Desfecho da Campanha SOS Ecocentro Bicho do Mato


Amig@s, agradecemos às centenas de mensagens de apoio, as mais de de 50 cartas de instituições nacionais e internacionais, @s amig@s que na hora do aperto se mostraram solidárias e sensíveis a situação, todas as correntes de orações, a colaboração financeira que tanto precisamos na transição e a aprendizagem que foi plantada com  uma experiência tão forte e transformadora como essa. 
Foram 5 anos de muita permacultura, ecopedagogia, milhares de pessoas circulando nos cursos, vivências, saraus, oficinas, trilhas ecopedagógicas, rituais e fogueiras mágicas, círculos de mulheres, crianças nascidas de parto natural, mercados de troca e tudo o que rolou no Centro Ecopedagógico Bicho do Mato. 

Seria impossível listar tudo e todos  que de alguma forma, tornaram possível a existência do Ecocentro.  

Gratidão - Gratidão - Gratidão ! 

A semente foi plantada no coração de quem vivenciou conosco essa experiência. Seguimos agora para a Chapada dos Veadeiros na criação do Instituto Biorregional do Cerrado e do design social de uma Ecoaldeia. Estamos inclusive, abertos a novos parceiros 
e interessados na integração com o projeto. 

Oxalá, alguém em Pernambuco se anime para criar um novo espaço não deixando este vácuo para estudantes e amantes da permacultura no Nordeste. A área do sítio corre perigo na mão de seres insensíveis a tudo o que foi recuperado e plantado 
por lá. 

Seguimos buscando uma indenização justa e "amigável", caso não aja consenso, a batalha judicial continuará ! 

Segue o vídeo de 6 min. dos últimos capítulos dessa jornada. 

A esperança segue, na construção de um novo mundo aliado com uma sociedade ecologicamente próspera, justa e solidária.

http://www.iteia.org.br/videos/denuncia-de-desapropriacao-do-cecopedagogico-bicho-do-mato

--
Thomas Enlazador 

Pela Terra, Pela Cura, Por todas as nossas relações ! 

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Região Metropolitana do Recife Realiza Plenária Regional Rumo a V Plenária Nacional.


Foi realizada nos dias 22 e 23 de maio  na Faculdade FAFIRE em Recife,  a V Plenária Regional rumo a V Plenária Nacional. Com a participação de representantes das cidades de Recife, Abreu e Lima, Paulista, Olinda, Araçoiaba, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe. Durante estes dois dias foram discutido os temas e prioridades da região para levar as propostas para a Plenária Estadual que se realizará nos dias 29, 30 e 31 de agosto.


Por aclamação foram aprovados os nomes do seguintes delegados para a plenária estadual:

Empreendimentos:


- Leylah Araujo (AEPA - Recife).
- Beatriz Fátima dos Santos (Reciclart - Recife).
- Evandra Dantas (Grupo Espaço Mulher - Recife).
- Alexandra Maria Galdino (Grupo de Mulheres Cidadania Feminina - Recife).
- Horacio Lourenço (Maracatu Pinguim - Araçoiaba).
- Cabotan (NACE - Paulista).
- Maria do Socorro Rodrigues (Artes Curado - Jaboatão dos Guararapes).
- Norma Maria do Nascimento (ArteMar - Jaboatão dos Guararapes).
- Selma Cavalcanti (Cooperat - Abreu e Lima).
- Elisabete Maria José (Kadoshi Arts - Paulista).


Assessorias de Apoio e Fomento:


- Grupo Mulher Maravilha - Maria de Lourdes
- Projeto Ramá - Maurivan Tenorio
- Casa da Mulher do Nordeste - Silvana Queiroz
- AMNE - Zilvanice Paz
- INCUBACOOP - Shirley Santos


Gestores Públicos:


- Prefeitura da Cidade do Recife

- Prefeitura Municipal de Jaboatão dos Guararpes


Parabéns ao companheiros e companheiras.

Brasil Urgente!!! Câmara aprova confisco de propriedades flagradas com escravo!!!



De: Ivan Moraes

Brasil Urgente!!!
Câmara aprova confisco de propriedades flagradas com escravo!!!
FONTE: Blog do Sakamoto
 
Brasília - A Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça (22), em segundo turno, a proposta de emenda constitucional 438/2001, que prevê o confisco de propriedades em que trabalho escravo for encontrado, destinando-as à reforma agrária e ao uso social urbano. A matéria, que foi aprovada em primeiro turno em agosto de 2004, deve agora voltar ao Senado por conta da inclusão da previsão de confisco de imóveis urbanos pela Câmara.
 
Foram 360 v0tos a favor, 29 contrários e 25 abstenções, totalizando 414 votos. Ao final, os deputados cantaram o Hino Nacional no plenárioClique aqui para saber como votou seu deputado ou deputada.
 
Em 2004, foram 326 votos a favor, 10 contrários e 8 abstenções.
 
Mais de 3,1 mil propriedades foram fiscalizadas por denúncias de trabalho escravo desde 1995, quando o Brasil criou o seu sistema de combate ao crime. Destes locais, foram resgatadas mais de 42 mil pessoas
 
Após reunião das lideranças partidárias com o presidente da Câmara Marco Maia, houve um acordo para que a proposta fosse colocada em votação. Inicialmente todas as bancadas orientaram seus deputados a votarem a favor, com exceção de Nelson Marquezelli, que apresentou o PTB como “não”. Contudo, no decorrer da votação, o partido voltou atrás e mudou para “sim”, corrigindo a orientação dada pelo deputado federal paulista.
 
Ao final, nem todos os parlamentares obedeceram a orientação partidária, mas o número foi suficiente para aprovar a matéria. Após a derrota no Código Florestal, a aprovação da polêmica proposta na Câmara foi vista como demonstração de força do governo Dilma Rousseff na Câmara.
 
Histórico
No mês de março, em reunião com o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República, representantes de trabalhadores rurais ouviram a promessa de que a proposta de emenda constitucional 438/2001 seria colocada em votação até a semana do dia 13 de maio – celebração da Lei Áurea. Ao mesmo tempo, Marco Maia (PT), presidente da Câmara dos Deputados, se comprometeu a colocar a matéria em votação. Escolheu o dia 8 de maio. Em janeiro, Dilma havia colocado a PEC como prioridade legislativa para o governo federal neste ano.
 

domingo, 20 de maio de 2012

Ata do Encontro Nacional Preparatório da V Plenária


Ata do Encontro Nacional Preparatório da V Plenária


Por Secretaria Executiva do FBES 

O Encontro foi uma experimentação metodológica sobre a V Plenária, trabalhando as pautas das plenárias locais e estaduais, a partir dos documentos de metodologia e questões orientadoras, além de possibilitar a troca de experiências sobre a organização das plenárias nos estados, gerando um mapa com mais de 200 plenárias previstas no país.

Participaram do Encontro mais de 100 representantes das comissões estaduais organizadoras de todo país, comissão organizadora nacional e movimentos sociais convidados.

Está disponível a ata do Encontro Nacional Preparatório da V Plenária, realizada no Distrito Federal, entre 18 a 20 de abril de 2012.
Durante o Encontro também foram realizados debates políticos sobre duas temáticas. A primeira sobre a economia verde, Rio + 20 e Cúpula dos Povos, contando com a contribuição de convidados dos movimento sociais, cujas críticas à nova roupagem do capitalismo com a economia verde foram convergentes, bem como a sinalização das iniciativas e alternativas de real superação deste modelo, através da economia solidária, agroecologia e da soberania alimentar. Acesse notícia emhttp://e.eita.org.br/g 
Um segundo debate político foi sobre a política nacional de economia solidária, junto com a Senaes (Secretaria Nacional de Economia Solidária) que apresentou um balanço das ações realizadas e a sinalização de cenários e oportunidades neste governo, nos debates os participantes destacaram as contradições do acesso aos recursos públicos e reivindicaram a necessidade de parcerias com o poder público para a realização da V Plenária. 

Outro momento importante do Encontro foi o debate sobre a linha do tempo das plenárias já realizadas, com relatos a partir de militantes históricos do FBES, que trouxeram importantes contribuições e aprendizados para a construção desta V Plenária. Acesse notícia em http://e.eita.org.br/h 

Além disso, foi dado início à construção da bandeira da V Plenária com base no desenho de uma árvore, que é a identidade da V Plenária, aonde as raízes simbolizam os princípios, o tronco os eixos e plataforma de ação, e nas copas os frutos das regiões. A confecção da bandeira está sendo finalizada nas Plenárias Regionais de Balanço que ocorrem neste mês de maio.


Carta de Olinda - Participantes do Seminário Regional de Avaliação. Nordeste.

Companheir@s,

Circulamos a Carta de Olinda, produzida pelos (as) participantes do Seminário Regional de Avaliação - NE que aconteceu em Olinda/PE entre os dias 15,16 e 17.

A Carta trata de nossa posição frente ás possibilidades de mudanças no Projeto CFES discutidas durante a reunião ocorrida esta semana em Brasília, da CTFAT - Comissão Temática de Formação e Assistência Técnica, do Conselho Nacional de Economia Solidária.

Saudações Solidárias.

Francisco Navegantes
Fórum Potiguar de Economia Solidária
CFES/RN






SOBRE O FUTURO DA POLITICA DE EDUCAÇÃO 
EM 
ECONOMIA SOLIDARIA

Carta das/os participantes do Seminário Regional de Avaliação dos Projetos Governamentais do Nordeste.

Desde agosto de 2011, as educadoras e os educadores em Economia Solidária do Brasil vêm discutindo com o governo federal o futuro da política de Educação em Economia Solidária (Formação e Assessoria Técnica). Estes debates têm sido orientados pelas resoluções da I Conferência Temática de Formação e Assessoria Técnica em Economia Solidária, em 2010, que define a importância de compreender os processos educativos em Economia Solidária como “uma “construção social”, que envolve uma diversidade de sujeitos e ações orientados para a promoção do desenvolvimento sustentável que considera as dimensões econômica, ambiental, cultural, social e política” e cujas ações político-pedagógicas “inovadoras, autogestionárias e solidárias, são fundamentadas na perspectiva emancipatória de transformação dos sujeitos e da sociedade.” Tais debates, apontam para a importância da articulação entre formação, assessoria técnica, elevação de escolaridade, acesso à produção de tecnologias sociais, como parte inerentes aos processos educativos em economia solidária.
Fomos informados que o CFES Nordeste recebeu um documento enviado pela SENAES, objeto de discussão do CTFAT (Câmara Temática de Formação e Assessoria Técnica do Conselho Nacional de Economia Solidária – CNES), que indicava o redesenho dos Centros de Formação em Economia Solidária (CFES) em sua etapa de continuidade. Inteiradas/os dos andamentos das discussões do CTFAT que indicam mudanças de foco da política relacionada ao CFES, preocupa-nos a perca de conquistas e a não continuidade dos processos de formação de educadoras e educadores em economia solidária.
Assim, reunidos em Olinda, para o seminário de avaliação de projetos governamentais, no período de 15 a 17 de maio de 2012, e avaliando que o CFES tem sido uma das políticas públicas que mais se aproximou das demandas por formação apontadas hoje pelo movimento de economia solidária, gostariamos de reiterar a necessidade de que, em sua continuidade, alguns elementos centrais sejam garantidos:
· A centralidade da natureza do Centro de Formação em Economia Solidária que é a formação de educadoras e educadores em economia solidária;
· A integração das experiências formativas a partir da consolidação da identidade de um projeto de educação que considera e fortalece a diversidade territorial e dos sujeitos implicados.
· A Rede de Educadoras e Educadores em Economia Solidária como o sujeito, o espaço e o lugar da organização e elaboração dos processos de formação, tendo o CFES o papel de aglutinar, animar e coordenar as ações.
· Um percurso formativo baseado nas demandas originárias dos territórios onde temos buscado ampliar a dinâmica da economia solidária que considera a educação contextualizada;
· Percurso formativo baseado nos termos da Conferência Temática de Formação e Assessoria Técnica em ES realizada em 2010;
· A busca da consolidação da formação das educadoras e dos educadores em Economia Solidária, garantindo dois tipos de espaços formativos considerando a formação como um processo continuado: um espaço de formação inicial (mínimo de 75 horas) e outro de formação continuada (mínimo de 180 horas)
· Os espaços das oficinas locais que têm sido fundamentais para o processo de experimentação da prática pedagógica dos educadores em formação e ao mesmo tempo constitui importante espaço de ampliação das oportunidades de formação e assessoria técnica para os EES e de gestores públicos locais;
· A necessidade de articular processos de formação, assessoria técnica e elevação da escolaridade, de forma coordenada pela SENAES, sem, no entanto, “esvaziar” as políticas específicas de fomento aos Bancos Comunitários, Fundos Rotativos Solidários e a Comercialização hoje implementadas.
Neste sentido, solicitamos que seja permitido e financiado, um maior processo de diálogo entre
aquelas/aqueles que hoje coordenam esta política para que possamos contribuir neste debate de maneira mais coletiva


Olinda (PE), 17 de maio de 2012

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Brincando de Economia... - Para Uma Reflexão Profunda.


Pequena Introdução à Economia Clássica*
por Helena: http://www.buniting.blogspot.com.br/2012/05/pequena-introducao-economia-classica.html

Preâmbulo
Economia: “Gestão da Escassez”

Minha caçula, de 9 anos, me disse que, quando crescer, quer ser estilista. Naturalmente, fica com pressa para ficar adulta! Mas eu não tenho essa pressa toda. Então eu lhe disse: “Você pode ser estilista agora. Não precisa esperar ser adulta para isso. Pronto, você já é estilista! Posso fazer uma encomenda?”. Pedi a ela que desenhasse um vestido para mim, e eu levaria o modelo para uma costureira fazer. Enquanto isso, comecei a procurar uma costureira para fazer o vestido. Mas qual o quê! Não encontro costureira que trabalhe com malha. E o vestido que Jana desenhou é de malha. Malha, só mais de 40 peças! Só em escala industrial. 

Comecei a pensar... quanto tempo leva para se fazer um vestido? Uns 2ou 3 dias? Quanto uma pessoa precisa para viver dignamente, do jeito que ela deseja, já que esse é um direito de todos, já que somos (ou não somos?) todos iguais (em nossa imensa diversidade). Aliás, quanto você merece ganhar para viver dignamente, do jeito que deseja? Essas reflexões me levaram a pensar que o vestido feito por uma costureira custaria muito mais do que eu posso pagar, no mínimo uns R$ 600 (isso sem remunerar a arte da minha filha estilista)! E como pode então que um vestido custe 1/6 disso em uma loja de departamentos? Depois dos custos de material, impostos, lucro da loja, marketing, do transporte de peças e materiais... quanto ganha a pessoa que fez essa roupa? Como ela vive? O que come? Em que condições trabalha? Como cuida de suas crianças? Que meio de transporte utiliza para ir ao trabalho? Ela vê o resultado de seu trabalho completo? Ela se realiza com o que faz? Quem ganha com o seu trabalho?

Se o que desejamos é um mundo em que todas as pessoas sejam felizes, me parece óbvio que essa economia simplesmente não nos serve. A conta nunca vai fechar. Então, é hora de inventarmos uma outra coisa para substituí-la! 

* Este texto não tem nenhum compromisso com as teorias clássicas de Economia. Trata-se de uma ficção documental, ou documentário poético... O título tem caráter tão somente estético. 

quarta-feira, 16 de maio de 2012



O Fórum de Economia Popular Solidária de Pernambuco/FEPS através da Comissão Organizadora Estadual da V Plenária do Fórum Brasileiro de Economia Solidária/FBES convidam os Empreendimentos Econômicos Solidários, Movimentos Sociais, Organizações Não Governamentais, redes e Gestores Públicos a participar da  Plenária da Região Metropolitana do Recife, a ser realizada nos dias 22 e 23 de maio, das 9h às 18h, na Faculdade Frassinetti do Recife - FAFIRE (Av. Conde da Boa Vista), tendo em vista fortalecer a implementação de políticas públicas para Economia Solidária assim como a integração entre os diversos movimentos sociais em defesa de outro modelo econômico social e político para o país.
As pessoas interessadas em participar devem preencher a ficha, em anexo, e enviar para o e-mail:  amnecidadania@yahoo.com.br

Contamos com a participação de todas(os) !


Comissão Estadual Organizadora da V Plenária

OBS.Vale salientar que só poderão participar das plenárias Estaduais e saírem delegados as pessoas que participarem das plenárias locais.

sexta-feira, 11 de maio de 2012




18º Grito dos/as Excluídos/as Recife – PE 1ª Exposol Recife 2012 
.


Solidariedade, Sustentabilidade e Cidadania

Local: Bloco G da Unicap – Universidade Católica de Pernambuco
(Rua do Príncipe, Bairro da Boa Vista – Recife – PE)

Programação
Quarta-feira (30/05), 19 h
- Sessão de Abertura e Palestra com Michel Zaidan (UFPE), Zé Cardoso (Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis - MNCR) e Silvia Camuça (Fórum de Mulheres de Pernambuco e SOS Corpo)  Apresentação Artística com a Orquestra Experimental de Frevo da UFPE.

Quinta-feira (31/05), tarde e noite (das 14 às 22h00).
- Atividades de Formação (oficinas, exposição fotográfica, vídeos, apresentação de pesquisas e experiências).
- Empreendimentos de Economia Solidária (espaço de comercialização de produtos e serviços).
- Exposição de Projetos Sociais (instituições e grupos da sociedade civil que realizam ações em prol da cidadania e sustentabilidade).

Sexta-feira (01/06), manhã e tarde (9h00 às 18h00).
- Atividades de Formação (oficinas, exposição fotográfica, exibição de vídeo, apresentação de pesquisa, relato de experiência)
- Exposição de Empreendimentos de Economia Solidária (espaço de comercialização de produtos e serviços).
- Exposição de Projetos Sociais (instituições e grupos da sociedade civil que realizam ações em prol da cidadania e sustentabilidade).

Sexta-feira (01/06), noite (19h00).
- Sessão de Encerramento e Debate com André Euclides Mance (Portal Solidarius).
- Apresentação Artística com Grupo Musical do Cervac - Centro de Reabilitação e Valorização da Criança.


Acesse o blog ou a página no Facebook
www.exposol2012.blogspot.com / www.facebook.com/ExposolRecife E-mail: exposolrecife@gmail.com /
Tel.: (81) 3222 0241

Apoio: MTC, Unicap, UFPE, Prefeitura do Recife, Projeto Ramá, Inndeia Midias

Oficina de elaboração de projetos culturais com ênfase no Funcultura

Oficina de elaboração de projetos culturais
com ênfase no Funcultura

Com a política pública de cultura centrada nos editais, poucos são os que dominam conceitos, métodos e escrita de um projeto cultural. Diante da complexa teia que envolve Antropologia cultural, contabilidade básica, noções de planejamento e uma burocracia que parece não ter fim, muitos preferem pagar a alguém para fazer seus projetos e se livrar dos embaraços. 
Mediante tal realidade Adriano Marcena e Rogério Generoso, em parceria com a UBE – União Brasileira dos Escritores decidiram oferecer uma oficina de elaboração de projetos culturais com ênfase no Funcultura, para aqueles que pretendem apresentar projetos no próximo Edital. 

Os entraves são muitos para os iniciantes que se aventuram na elaboração solitária de um projeto para o Funcultura. Para Marcena, consultor em projetos culturais, a questão mais gritante é o total desconhecimento das entrelinhas dos Editais, pois “é preciso que as pessoas entendam o foco dos Editais. Nem todo projeto cabe em todo Edital. Muitas vezes as pessoas ajeitam, esticam, puxam dali, puxam daqui para tentar fazer suas ideias caberem dentro do Edital e, aí, dificilmente dá certo”. 
Para o poeta Rogério Generoso, os problemas na elaboração dos projetos culturais são muitos e o pior de todos eles é “sabê-lo em sua cabeça, mas não saber colocá-lo no papel”. Generoso lembra que um projeto cultural tem que estar todo amarrado: “o orçamento tem que refletir os conceitos empregados na justificativa e as definições da estratégia de ação”. Vê-se que não é tão simples trabalhar e dar sentido a esse emaranhado de pontos em um projeto como muitas pessoas pensam. 
Adriano Marcena e Rogério Generoso, salientando que ambos foram membros titulares da Comissão Deliberativa do Funcultura-CD, lembram ainda que um projeto tem que “se explicar por si só da primeira à última página, pois uma pergunta feita ao projeto que não se obtenha resposta evidencia fragilidades em sua elaboração”. 
As inscrições estão abertas por e-mail, telefone ou presencialmente, no Centro Vital Corrêa de Araújo, de terça a sábado, das 9h às 17h. O horário é flexível, permitindo que os estudantes possam assistir aulas em quaisquer turnos, desde que cumpram as 20 H/A exigidas para o recebimento do certificado que será outorgado pela UBE – União Brasileira dos Escritores. 
Eis uma ótima oportunidade para aqueles que não dominam as técnicas de elaboração do projeto. O Funcultura tá chegando! 

SERVIÇO:

Oficina de elaboração de projetos culturais com ênfase no Funcultura
Facilitadores: Adriano Marcena e Rogério Generoso
Carga-horária: 20 horas

Turmas: 
Manhã: 8h às 12
Tarde: 13h30 às 17h30
Noite: 18h às 22h 
Sábados: manhã e tarde.
Local: Centro Cultural Vital Corrêa de Araújo
Rua da Glória, 472 – Boa Vista (próximo ao Mercado da Boa Vista) 
Investimento: R$ 150,00 (cento e cinquenta reais).
Período: 27 de maio a 02 de junho. 
10 vagas por turma.

Contatos:

Rogério Generoso
roggeenroso@hotmail.com
(81) 86299891

quinta-feira, 10 de maio de 2012


Curso de Capacitação Para Empreendimentos Solidários da Região Metropolitana do Recife - CAPES 2012

A Cáritas Regional NE II, realizará o IV Curso de Capacitação Para Empreendimentos Solidários da Região Metropolitana do Recife. O Curso será ministrado em trés módulos com dois dias por mês, sendo:

Maio - 16 e 17
Agosto - 21 e 22
Outubro - 16 e 17
Horário: 9 as 17 horas.
Local: Auditório Dom Elder Camara - Incubação/FAFIRE - Recife.

O Curso é destinados a Empreendimentos novos ou recém-formados, as pré inscrições podem ser feitas através do e-mail unees_pe@rocketmail.com , enviar nome do Grupo, endereço, contatos (telefone e e-mails), qual a produção do grupo e o nome completo e CPF ou RG dos participantes.
Este curso tem a parceria da UNEES e Incubação/FAFIRE.

terça-feira, 8 de maio de 2012

CRC Promove Aulas no Pró-Criança em Recife













As aulas de computação promovidas pelo Centro de Recondicionamento de Computadores do Recife (CRC), para os jovens acolhidos pelo Movimento Pró-Criança, este com sede no bairro dos Coelhos no Recife, começam hoje (17). A iniciativa amplia assim o acordo estabelecido entre a Faculdade Marista, que coordena o centro, e a organização social, que desde o ano passado firmaram convênio de cooperação. A perspectiva é que cerca de 50 beneficiados sejam atendidos pelo programa, que disponibilizará educadores do CRC para levar conceitos relacionados à área de informática, especificamente na área de manutenção e reciclo consciente de computadores e periféricos, aos jovens assistidos pelo pela instituição beneficente. 

“Propiciar a inclusão digital, através da irradiação de conhecimentos técnicos de informática, de forma empreendedora e sustentável, a jovens de segmentos menos assistidos da sociedade”, afirma Sávio França, coordenador do Centro de Recondicionamento, localizado no bairro de Dois Irmãos. O instituto, que este ano completa três anos de atuação no reaproveitamento de PCs e componentes para instituições menos assistidas, com atividades em quase toda a região Nordeste, com exceção da Bahia. O grupo disponibilizará alguns de seus ex-alunos, e agora educadores, entre eles, Fernando Marroquim e Jéssica Gomes, nas atividades de fomento ao conhecimento técnico-sustentável dentro do Movimento Pró-Criança.

Os jovens “difusores” da política aplicada pelo CRC atestam a importância do programa de capacitação promovido pela Faculdade Marista, em parceria com os Ministérios da Ciência e Tecnologia e das Comunicações, no sentido de fomentar o juízo de respeito pelo ambiente. Além de proporcionar uma formação técnica condizente com as exigências de mercado. “Desde que iniciei meus estudos no centro de recondicionamento do Marista, há dois anos, minhas perspectivas passaram a ser outras. Sempre me envolvi com tecnologia, porém depois que ingressei aqui, comecei a ver o potencial que a informática poderia ter no sentido de capacitar as pessoas para o mercado, e de forma consciente”, pontua Fernando, 22 anos.

Ele complementa que o centro contribuiu também para o desenvolvimento de uma noção de empreendedorismo, que hoje é exercida por ele em conjunto com outros quatro integrantes da escola de recondicionamento, através do portalwww.eccologin.com.br. O projeto, lançado no início deste ano, atua na propagação da ideia de economia solidária, baseado no reaproveitamento de equipamentos eletrônicos, e na socialização do conhecimento técnico, abordados durante a formação oferecida pelo centro.

No que concerne à parceria estabelecida com o Pró-Criança, as coordenadoras pedagógicas do Movimento, Camila e Betânia Pessoa, comentam que a cooperação com o instituto de ensino tecnológico é fundamental no desenvolvimento de uma metodologia de trabalho em TI. “A nossa proposta conjunta não só capacitará os jovens profissionais para atuarem na área, diante da efervescência das oportunidades de emprego no segmento no estado. Entretanto, procuraremos manter a perspectiva da solidariedade, já promovida por ambas instituições, e valorização não só do meio ambiente, mas do potencial de crescimento social desses menos assistidos”.
Por Weslley Leal, do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

Feira de Economia Solidária da Mata Sul de Pernambuco.

Reportagem do Jornal O OLHO numa visita descontraída à Feira de Economia Solidária Mata Sul Pernambucana, dia 2 de Maio de 2012, no Pátio do Centro de Treinamento João XXIII, em Palmares - PE.




sábado, 5 de maio de 2012

Plenária Regional Nordeste para construção da V Plenária Nacional



Comissão Nacional Organizadora da V Plenária Nacional de Economia Solidária, estará realizando no dia 15 de maio em Olinda/PE a Plenária Regional Nordeste com objetivo de contribuir para construção da V Plenária Nacional. Durante o evento serão analisados os avanços e desafios a partir das resoluções da IV Plenária Nacional de Economia Solidária, nos eixos: Finanças Solidárias, Marco Legal, Produção e Comercialização e Consumo Solidário. 

Período: 15/05/2012

            Local:  Convento das Dorotéias Largo da Misericórdia, S/N – Alto da Sé – Olinda/PE

Seminário de Avaliação de Projetos Governamentais


Aos Fóruns Estaduais de Economia Solidária do Nordeste

Será realizado nos dias 16 e 17 de maio o  Seminário de Avaliação de Projetos Governamentais executados pela Cáritas Brasileira e o Instituto Marista de Solidariedade que conveniaram com a SENAES a responsabilidade pela execução dos seguintes projetos nacionais: Brasil Local, Centro de Formação de Economia Solidária- CFES, Comercialização e Fundos Rotativos Solidários.

Estamos convidando 02 representantes de cada Fórum Estadual de ECOSOL no Nordeste para participar desses momentos. É importante que nas indicações dos estados um/uma d@s representantes participe ou acompanhe as ações de um ou mais projetos avaliados.

Período: 16 e 17/05/2012

Local do Evento:  Convento das Dorotéias - Largo da Misericórdia, S/N – Alto da Sé – Olinda/PE

Maiores Informações: caritasne2@ caritasne2.org.br  (81)  3231.3435

Observações:
1. Para os representantes dos Fóruns Estaduais da Bahia, Ceará,  Maranhão, Sergipe e  Piauí, o deslocamento será aéreo.  Deverão enviar até o dia 08/05/2012 (terça feira), os dados dos participantes (Nome completo; telefones para contato; CPF e RG).
2. Para os representantes dos Fóruns Estaduais de Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte o deslocamento será terrestre. O prazo para envio dos dados e valores dos deslocamentos terrestres deverá ser feito até o dia 10/05/2012.

Coordenação Colegiada dos Seminários de Avaliação dos Projetos Governamentais
Instituto Marista de Solidariedade
Cáritas Brasileira
Fórum Brasileiro de Economia Solidária
Secretaria Nacional de Economia Solidária

Fórum Permanente de Economia Solidária da Mata Sul Pernambucana



Parabéns aos companheiros do Fórum Permanente de Economia Solidária da Mata Sul Pernambucana pelo recomeço dos trabalhos e pelo Blog que esta muito bom.



Dias 16 e 17 de Abril/2012 durante manhã e tarde, no Centro de Treinamento João XXIII foi realizada a PLENÁRIA DA ECONOMIA SOLIDÁRIA REGIONAL DA MATA SUL EM PREPARAÇÃO DA V PLENÁRIA NACIONAL. 
Durante a tarde do dia 16 as lideranças empreendedores produtores de economia solidária, representantes dos governos municipais, educadores e de entidades de assessorias e fomento elegeram a Coordenação do Fórum Permanente de Economia Solidária da Mata Sul de Pernambuco que ficou formada por: 

Entidades de Apoio e/ou fomento:
Irmã Cristiane (Comissão Pastoral dos Pescadores - Sirinhaém), 
Irmã Sandra (CICAF)

Representantes do Governo:
Tânia Maria Rodrigues de Lima e Risoneide Santos da Silva (ambas da Prefeitura de Catende)

Empreendedores:
Cícera Maria da Silva Gonçalves (Àgua Preta), 
Maria Dulce dos Santos (Água Preta), 
Gleide C. de Vasconcelos (Palmares), 
Solange A. do Rego Ribeiro (Palmares),
Elenildo C. Penha (Catende), 
Jaorish Gomes Teles da Silva (GRUCALP).

Essas pessoas contempladas com os votos dos representantes reginais presentes são um tipo de Conselho Articulador do Fórum Permanente da Economia Solidária da Mata Sul Pernambucana, tendo com primordial função a educação de base e mobilização comunitária dentro dos ideais da solidariedade e preservação do meio ambiente.  

UNEES-PE
UNIÃO DE EMPREENDEDORES DA ECONOMIA SOLIDÁRIA - PERNAMBUCO
Falar e Projetar é Fácil, dificil é construir e Manter

.

[link=http://www.recados-animados.com] [/link] [b]Mais recados? http://www.recados-animados.com[/b]

O Analfabeto Politico.

O Analfabeto Politico.
O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais. Bertold Brecht

RADIO ARTANA -Bom gosto e qualidade.